terça-feira, 2 de outubro de 2012

Pearl Harbor


Estive vendo um dos filmes mais clássicos do cinema: Pearl Harbor! Quem ainda não viu, recomendo ver. É realmente um ótimo filme.

Ele narra a invasão dos japoneses ao Hawaii, mas especificamente ao local que dá nome ao filme. Um invasão surpresa e que deixou os EUA completamente abalado. 

Nesta base militar americana, milhares de soldados treinavam constantemente para a guerra. Pilotavam seus aviões, navios de guerra, porta-aviões e tudo mais. E num dia normal, praticamente sem aviso prévio, os japoneses invadem a ilha e começam a destruir tudo o que vêem pela frente. No meio da invasão, uma cena me chama a atenção e quero me prender à ela. 

Essa cena mostra alguns soldados americanos, agachados no chão de um navio em meio à um bombardeio chorando com medo e sem conseguir lutar. Um outro militar teve que pegá-los do chão e mandar que eles tomem suas posições de guerra.

Pensei imediatamente: pra que adiantou tantos anos de treinamento constante, se no momento de colocar em prática tudo o que aprenderam, eles recuaram?

Minha igreja acabou de sair de um congresso missionário e eu sei de outras igrejas de pessoas que tenho contato que também tiveram congressos por agora ou de outras pessoas que vieram de eventos que nos encoraja a sair das quatro paredes. Fico até mesmo pensando em algo que já fizeram na minha igreja, assim como em várias outras por muitos anos, que é a simulação de colocar uma pessoa vestida como um mendigo no meio de um culto para testar a reação das pessoas. Depois a identidade do ator é revelada e já soube de casos onde o ator era a pessoa responsável por trazer a mensagem naquele dia.

Me pergunto: e se não for mais simulação? E se um mendigo, por exemplo, realmente entra numa igreja cristã? E se ele realmente está com fome e não tem onde morar, diferente do ator? O que a igreja faria? Oraria por ele e diria "que Deus te acompanhe"? Que resposta e ações nós temos para estas situações da vida real que acontecem fora das quatro paredes das nossas igrejas todos os dias? Nos isolamos em nossas paredes eclesiásticas e procuramos viver, também, num planeta diferente.

No planeta Terra e muito provavelmente no bairro onde você mora, pessoas cometem suicídio, mendigos andam catando comida nas lixeiras de lanchonetes e restaurantes, ex-presidiários são forçados à voltar ao mundo do crime porque não encontram empresas que o recebam como funcionários, alcoólatras e drogados se afundam em seus vícios, enquanto os bancos das igrejas continuam limpos e seus frenquentadores continuam com cheiro de perfume importado.

O que faríamos se não fosse mais uma simulação?

Lucas 12:35-38 resume bem:

"Estejam prontos para servir, e conservem acesas as suas candeias, como aqueles que esperam seu senhor voltar de um banquete de casamento; para que, quando ele chegar e bater, possam abrir-lhe a porta imediatamente. Felizes os servos cujo senhor os encontrar vigiando, quando voltar. Eu lhes afirmo que ele se vestirá para servir, fará que se reclinem à mesa, e virá servi-los. Mesmo que ele chegue de noite ou de madrugada, felizes os servos que o senhor encontrar preparados."

Eu quero ser encontrado servindo à cada momento. E você?

Abraços!

Um comentário:

Evelyn Brito disse...

Nossa...
Sem palavras pra descrever o reboliço que fez no meu interior, estou incomodada e quero estar preparada e vou procurar fazer por onde ;D
Agradeço a Deus pela sua vida Cabeçãaaao *-*
Você foi e sempre será uma referencia de uma vida de dedicação a buscar a fazer a vontade de Deus.
Saudades amigo (: