quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Eu não pedi a sua ajuda!

Vou falar novamente de uma experiência que tive em Alagoas. Mas dessa vez não é tão aterrorizante como a que eu falei no outro texto.

Teve um dia lá que nós, da SOS Global, estávamos trabalhando pesado num depósito de doações e tinham alguns moradores desabrigados ajudando a gente. E entre eles tinha uma mulher que vou chamar de "Maria". Nesse dia tava uma correria louca ali no depósito, tinha muita coisa pra fazer em pouco tempo. No meio do corre-corre, muito calor, todo mundo super suado, aquela agitação toda, eu vi Maria sentada, tranqüila como se nada estivesse acontecendo.
Eu me incomodei com a situação e fui lá cheio de educação, sorriso no rosto, voz mansa e pedi pra Maria ajudar a gente. Inclusive ela, como desabrigada, também iria se beneficiar do que a gente tava fazendo ali.

Em troca, recebi um "educado": não!

Insisti um pouco mais e falei pra ela da importância do que a gente tava fazendo ali e falei também que a equipe da SOS Global tinha vindo de longe só pra ajudá-los. Tinha gente de Londrina, São Paulo e Bahia. Pensei que iria receber outro simples e seco "não". Mas a resposta da Maria me deixou sem reação. Ela disse:

- Você veio de longe porque quis. Ninguém mandou você vir pra cá. Eu não pedi a sua ajuda!

Eu fiquei paralisado! Uma outra moradora intermediou a situação e disse pra Maria que ela não tinha o direito de falar assim comigo. Mesmo assim, Maria não foi ajudar a gente.

Fiquei pensativo o resto do dia, tentando acreditar na resposta que tinha recebido. Cheguei à seguinte conclusão:

Mesmo antes da Maria me dizer aquilo tudo, já dava pra perceber pelas atitudes dela, ou melhor pela falta de atitude, que isso era exatamente o que ela pensava do nosso esforço ali, do nosso amor em largar tudo aqui para ajudá-los. As atitudes dela já haviam me dito tudo isso, antes mesmo dela falar qualquer coisa.

Refleti: Eu abri mão de 28 dos 30 dias de férias que tenho direito pra estar ali ajudando aquele pessoal em Alagoas, achava isso o máximo, apesar de fazer tudo com muito amor. Mas lembrei que Jesus fez algo I-N-F-I-N-I-T-A-M-E-N-T-E maior do que esse meu "esforço". Ele largou toda a sua glória, veio a terra, se humilhou, deu sua vida por nós, literalmente (Isaías 53), e, assim como Maria, nossas atitudes, ou falta de atitudes, dizem o seguinte pra Jesus:

- Você veio de longe porque quis. Ninguém mandou você vir pra cá. Eu não pedi a sua ajuda!

A lendária Legião Urbana disse na música Índios que "esse mesmo Deus foi morto por vocês. É só maldade então, deixar um Deus tão triste".

E é assim que temos deixado esse Deus: triste!

Chegou a hora da gente rever as coisas que temos feito e as que temos deixado de fazer.

Talvez você seja um assíduo freqüentador de igreja ou nunca tenha pisado em uma. Independente disso, o mais surpreendente e apaixonante nessa história toda é saber que, ainda assim, Jesus está pronto pra te perdoar, te abraçar, pegar na sua mão e caminhar contigo. Basta apenas você decidir e dizer com as suas próprias palavras que quer segui-lo.

Ele morreu por mim e por você. Ele me ama, Ele te ama!

Pense nisso!

Abraços!

5 comentários:

Gabi Neves disse...

Bênção seu blog Crebis... vou ler sempre agora! =D

Anônimo disse...

Muito postagem, melhor ainda pra mim que fui um privilegiado de ouvi-la do proprio cleber no teen street...foi bençao na minha vida.

abraços

dodi

Anônimo disse...

é muito bom depois de um dia "daqueles" ler palavras abençoadas de encorajamento e reflexão...parar e pensar o quanto Deus é maravilhoso...

Gloria a Deus pela sua vida Cleber!Deus te abençoe muito.l

tarsis disse...

... COMO DIRIA O PRÓPRIO CLEBÃO, "CARACA" ... AMEI O POST DA SUPOSTA "MARIA" ... ALIÁS, JÁ VOU MANDAR ESTA HISTÓRIA EM SALAS DE AULA! VC SEMPRE FIGURA, VÉI! AMEI MESMO!

Junelma disse...

Uau! Um tapa com luva de pelica.
Que Deus continue te abençoando Tiu Kebi. Há tanta simplicidade e profundidade em seus textos... Um verdadeiro ‘Pão Diário’, ou melhor, melhor do que o Pão Diário, pois já comprei uns 2 e nenhum me prendeu/falou tanto quanto o seu blog.Vou começar a enviar seus textos para alguns amigos não cristãos... Beijão. Juenelma Priscila