quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Eu vou me casar!

Calma galera, calma! Ainda não é sobre o meu casamento! Ainda não!!! hahaha!!!

Então, um tempinho atrás eu tava numa roda de amigos conversando assuntos totalmente aleatórios, nada assim que chamasse muita atenção. Mas essas conversas que são legais, né mesmo? Era aquele tipo de conversa que quando você faz uma retrospectivas dos assuntos que foram falados, você nem acredita que conseguiram falar daquilo tudo!

De repente chegou uma pessoa na roda. Vou chamá-la de Riseuda (eu sei que poderia colocar um nome mais bonito, mas deixa esse aí mesmo!). A gente não tinha muita amizade com ela, por isso não sabíamos muitos detalhes da vida dela. Pois bem, a tão famosa Riseuda chegou na roda com uma notícia que chamou a atenção da galera:

- Eu vou me casar!

E o que nos surpreendeu mais ainda era que ele tava com os convites de casamento nas mãos pra entregar pra gente. Obviamente ela tava super feliz, né!

Foi aí que entrou em cena a Stephanie (eu sei que poderia colocar um nome mais feio, mas deixa esse aí mesmo!). Essa era totalmente o contrário. Super disposta, uma promoter de primeira. Estar num ambiente com ela sem ouvi-la é algo impossível.

Assim que Riseuda entregou o convite, Stephanie se levantou, ficou super empolgada, abraçou Riseuda e já foi logo perguntando:

- Precisa de ajuda? Eu tenho vários contatos. Deixa comigo!!! Poxa, tô super feliz!!!! - e deu um outro abraço na Riseuda, agora, grande amiga.

Tava todo mundo super feliz. Primeiro por Riseuda casar e convidar a gente, mesmo a gente não sendo grandes amigos dela, e, segundo, por ver a empolgação da Stephanie em ajudar. Conhecíamos a Stephanie e sabíamos que ela era fera nisso.

Mas quando Riseuda virou as costas Stephanie pegou o convite de casamento, rasgou em vários pedaços na nossa frente, jogou na lixeira e disse:

- Vocês acham que eu vou mover uma palha pra esse casamento acontecer? Eu não tô nem aí pra ela! - logo depois, ela saiu do meio da gente.

Ficamos em silêncio total e sem reação. Ninguém acreditava no que estávamos vendo!

A Bíblia diz:

- É melhor não fazer voto do que fazer e não cumprir. (Eclesiastes 5:5)

Vejo muitas pessoas fazendo votos à Deus em momentos especiais como cultos, retiros, congressos missionários, dizendo "Meu Jesus eu creio em Ti e eu irei aos confins da Terra", mas quando "saiem" da presença de Deus (como se fosse possível) e já vão logo dizendo:

- Você acha que eu vou mover uma palha pra isso?

Pior é quando fazem votos de compromisso com Deus cantando "eu quero me esvaziar de mim (…) e de tudo que me afasta de Ti, Jesus" e na primeira oportunidade, ou até mesmo antes da primeira oportunidade, a boca e os pensamentos já estão cheios de coisas que o afastam de Jesus! Até quando isso acontecerá? Você pode dar fim nisso hoje mesmo!

Quero terminar com Apocalipse 2:4 e 5!

- Tenho, porém, contra ti que deixaste o teu primeiro amor. Lembra-te, pois, de onde caíste, e arrepende-te, e pratica as primeiras obras; quando não, brevemente a ti virei, e tirarei do seu lugar o teu castiçal, se não te arrependeres.

Abraços!

12 comentários:

Evelyn Brito disse...

Caramba, veei....
serio mesmo eu estava pensando nisso ontem!
Dizemos tanto que queremos buscar mais a Deus, ter mai intimidade que vamos ao confins da Terra proclamar esse amor... e mts vezes são palavras aos ventos =/
ée, mas isso é lógico, da ate mesmo pra fzr uma conta (haha): Vontade - Ação = NADA

Ná. disse...

Eu amo seus textos, créubis! sério, ,me fazem refletir muito e pensar coisas que eu não pensaria se não viesse aqui conferir o que você diz. Tive um reflitão aqui agora. Continua postando, você tem jeito (:

victortaz disse...

Vc leu o meu texto de hj? Ou de ontem não lembro... heheh! o meu ultimo. pois é, devemos mesmo tem outra atitude frente ao evangelho... devemos VIVER-LO!

Abraço Cleber...

Jurema Oliveira disse...

Pois é Cleber,o pior de tudo é que esta atitude muitas vezes é consciente. Sabemos que agimos assim, mas não fazemos nada pra mudar, as vezes por pura conveniência ou comodismo.
Quem disse que seguir Jesus era fácil e que em momento algum iriamos nos deparar com a necessidade urgente de mudarmos a nós mesmo, no intimo? Lembrei do texto que diz: "...negue-se a si mesmo..." Mt. 16:24.
Um beijo querido.

discipulodoamor disse...

é por isso que o melhor a se fazer é ficar quieto, ou ser sincero.
tem um ditado popular que diz que o "o defunto vai numa caixa de fosforo, mas a sua lingua tem que ir num caminhão"...

Larissa disse...

já pode-se dizer q sou uma fiel leitora do seu blog!
estou vindo aqui desde primeira postagem...
ta muito bom mesmo!
Deus continue te abençoando e te usando!

bjaum
Larissa Laís

Ponês disse...

Clebão...na boa me convide para o casório...kkk...brincadeira!!!
Caro pode apostar também estou junto da galera nos comentários...sou seu fã...seu Blog ja faz parte de minha rotina.
Abração.
Deus continue te abençoando.

Danilo disse...

Pois é... por isso que eu sempre digo que não vou fazer nada hehehehe =D

Kadija Teles disse...

Essa Stephani n vale nada..Fica longe dela, viu Cleber?
Bjs

Jaqueline disse...

CARAMBA!!
eu tambem tava pensando nisso ontem
é confirmaçao de Deus! e bençao!
muitas vezes buscamos a Deus e depois caimos com muita facilidade!
e devemos ser diferentes nisso!
falo por mim, quantas devemos damos muitos moles com Deus, buscamos a Ele em algumas horas e depois na primeira oportunidade vacilamos! Mas é isso aii, temos que mudar e reconhecer o que Cristo fez por nos e orar e buscar de todo nosso coraçao e constantemente.
aquele que ta de pé, ore pra que nao caia! :P

Rúbia disse...

Eita!Nada como dizer uma coisa e seu coração falar outra bem diferente...E a gente cansa de fazer isso.O negócio é que nem sempre d[a tempo de frearmos os pensamentos e nem a nossa língua!A gente tem muito o que aprender do evangelho ainda,Cleber!bj

Autran disse...

Massa, gostei da reflexão, compromisso é algo sério e infelizmente hoje em dia não existe mais aquele cuidado que se tinha de honrar a palavra dita. Acho que é algo a se pensar pois por exemplo muitos ministérios têm o hábito de incitar o "voto coletivo" a Deus sobre determinado assunto e quando passa o momento da emoção muitos se esquecem do compromisso.