sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Os santos e os pecadores

Quando eu era mais novo, sempre tive algumas pessoas como grandes exemplos de fé e de intimidade com Deus. Eram, na sua maioria, pastores. Eu fazia de tudo pra ouvi-los falar, pra ter um contato mais próximo.

Me lembro de alguns que marcaram uma fase da minha vida. Tinha um casal de pastores que quando eu sabia que eles estavam na cidade, cancelava tudo pra poder ir ouvi-los falar. Sempre saía de lá vibrando somente por ouvi-los, sem ao menos ter conversado com eles.

Já outro, eu lia livros, lia artigos e via tudo que estava relacionado a ele. Tudo! Bastava eu saber que tinha o nome dele no "bolo", que eu fechava os olhos e ia, sem me preocupar com maiores detalhes. Não posso negar: sempre fui muito edificado com tudo o que vi, ouvi e li.

Mas vieram as quedas. Vi pessoas que eu tinha como exemplo de santidade, caindo em pecados abomináveis, era como se um castelo que eu construí pra eles tivesse desmoronado bem ali na minha frente. Me decepcionei.

Me lembro que uma vez eu comentei com minha avó sobre isso. E ela, com toda experiência, me deu a seguinte resposta:

- A diferença do pecado deles pros meus, é que, os deles, todos ficam sabendo. Os meus não!

Ela conseguiu numa única resposta me fazer viajar pra longe. Tanto que até hoje curto momentos vividos nessa viagem!

Percebi que era tão pecador quanto eles. Percebi que merecia tanto da misericórdia e do perdão de Deus quanto eles. Percebi, também, que existem apenas dois níveis espirituais na vida cristã:

Os santos e os pecadores

Todos os que estão no nível que você está, estão iguais. Na mesma altura. Não existem sub-níveis. Ninguém está um pouco mais alto nem um pouco mais baixo que o outro.

A Bíblia diz que "quem quebra um só mandamento da lei é culpado de quebrar todos." (Tiago 2:10).

Eu, Cléber, posso cometer um pecado que deixe vocês sentindo o mesmo que eu senti com esses pastores. Não estou premeditando nada, mas apenas quero dizer que não existe ninguém mais santo do que ninguém, não existe ninguém mais pecador que ninguém. Sou tão pecador quanto qualquer um, sou tão merecedor das misericórdias de Deus quanto qualquer um. Estamos todos no mesmo nível. Somos todos pecadores!

- Todos pecaram e estão afastados da presença gloriosa de Deus. (Romanos 3:23)

Isso nos nivela e faz com que a gente tenha o mesmo sentimento quando encontramos um outro pecador, seja ele quem for, independente do que ele tenha cometido:

- Estamos no mesmo barco.

"E o amor é isto: não fomos nós que amamos a Deus, mas foi ele que nos amou e mandou o seu Filho para que, por meio dele, os nossos pecados fossem perdoados. Amigos, se foi assim que Deus nos amou, então nós devemos nos amar uns aos outros." (1 João 4:10-11)

Esse versículo falou tudo!

Abraços!

4 comentários:

tiago disse...

é isso aí beça!
essa foi "A" mensagem!
vamos sempre pensar assim pra que a gente viva mais de Deus. se não já era...tudo se perde...
adorei esse post!

Ponês disse...

É Clebão!!!
ainda tem gente julgando pecado alheios. E não vê que diante de Deus todos somos pecadores!!
Abração

Junelma disse...

Um Verdadeiro balde de água fria para aqueles que gostam de comentar a vida alheia. Excelente! Abraços...

Fábio Gomes disse...

Não tem jeito, todos querem ser juízes. Às vezes é um grande desafio pra nós (pelo menos pra mim) passar o dia sem querer julgar uma atitude ou uma palavra alheia, mesmo só em pensamento. Até arranjamos um nome bonitinho pra isso: "espírito crítico".