segunda-feira, 23 de maio de 2011

Isso acontece em muitas empresas.

Uma vez, numa empresa que eu trabalhei, fui chamado de última hora pra uma "reunião" num dos setores de lá. Na hora não entendi muito bem o porque tava sendo chamado, mas fui assim mesmo.

Quando cheguei, vi que tinham algumas pessoas de outros setores também. Tinham poucas pessoas. Me perguntaram a opinião sobre alguns layouts que me mostraram, mas isso não tava muito ligado a minha função na empresa. E ainda não tava entendendo o que estava fazendo ali. Foi quando uma das pessoas começou a fazer perguntas sobre a minha chefe e faziam algumas críticas, me induzindo a concordar. Foi aí que entendi que aquelas pessoas estavam querendo informações para poder armar algo contra a minha chefe. O estranho era que elas tinham uma "boa amizade". Saiam para almoçar e tudo. Foi aí que comecei a frustrar os planos dessas pessoas. Comecei a encher a minha chefe de elogios. Não inventei, mas valorizei bastante todos os pontos positivos dela.

Essa minha atitude fez a "reunião" acabar rapidinho. Vi que minha chefe estava cheia de amigas traiçoeiras e que no outro dia estavam chamando ela novamente para almoçar. Depois de um tempo, minha chefe foi demitida. Elas conseguiram armar um plano que acabou dando certo. Infelizmente, isso acontece em muitas empresas.

Um dos maiores exemplos de traição que conheço tá escrito na Bíblia. Jesus chama Judas pra ser um dos 12, eles passam a andar juntos diariamente, num convívio de intimidade mesmo e, de repente, 30 moedas são suficientes para que ele traia Jesus. Leia Mateus 26: 14-16.

O que me chama a atenção aqui, não são as 30 moedas. Podia ser 300, 3000 ou apenas 3. Mas o que me chama a atenção é que Judas estabeleceu um preço para a sua vida de amizade com Cristo. O inegociável passou a ter um preço, um valor!

- Eu aceito as 30 moedas de prata para entregá-lo a vocês!

Eu te pergunto: quanto vale a sua fé em Cristo? Talvez você fale que não tem preço. Mas aí eu te faço mais algumas perguntas: Será que não tem preço mesmo? E se você perder uma coisa que você tanto ama? E se você perder seu emprego, ficar pobre, perder sua casa, seu carro, não poder mais ir naqueles lugares caros que você tanto gosta de ir? Vou até mais fundo… e se você ficar doente e ter seqüelas sérias no seu corpo? Ainda sim você permanecerá firme e adorando a Deus ou abandonará a sua fé em Cristo? Por quanto você trairia a Cristo? Quanto vale a sua fé?

Em Lucas 18:8, Jesus faz a seguinte e intrigante pergunta:

- Quando o Filho do homem vier, encontrará fé na terra?

Mas eu amo quando leio Apocalipse 2:10b e vejo o seguinte:

- Sê fiel até a morte, e dar-te-ei a coroa da vida.

Não negocie sua fé em Cristo por nada! Por nada mesmo! Seja fiel até a morte!

Abraços!

2 comentários:

Scarlett Porto disse...

benção!! tenho pensado muuito nisso.

Monique Monteiro disse...

Gostei muito. Forte! Mas é isso aí.